Iniciar sessão

Votação

Como é que gosta de ver jogos de golfe?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades!

Tacos de golfe e a sua arquitetura

Tacos de golfe

Para que o seu jogo se desenvolva da melhor maneira possível, é fundamental que compreenda a arquitetura de um taco de golfe e todas as circunstâncias em que ele deve ser utilizado. Conheça bem os tacos de golfe e faça com que o seu jogo seja o mais consistente e preciso possível.

O conhecimento detalhado de um taco de golfe é uma das maiores vantagens que um golfista pode ter, uma vez que isso lhe permite saber usar o taco de golfe certo para fazer boas tacadas. Nesse sentido, conheça os aspetos que mais se evidenciam num taco de golfe e utilize-os sempre a seu favor. São eles: 

As partes de um taco de golfe

Um bom golfista é aquele que sabe exatamente qual o tipo de taco que vai utilizar em qualquer situação de jogo. Esta certeza está diretamente relacionada com o conhecimento pormenorizado que um jogador tem de um taco de golfe, quais as suas partes principais e para que é que elas servem. Um taco de golfe está assim dividido em 3 partes distintas, são elas:

  1. A cabeça. É uma das partes mais importantes na constituição de um taco de golfe, pois é ela a responsável pelo impacto do taco na bola. Ela vai estabelecer a velocidade, o efeito na bola, o eixo e o posicionamento de um taco e isso será determinante para a realização de uma boa ou má tacada. A cabeça de um taco de golfe é constituída por vários elementos e o conhecimento de cada um ajuda a explicar a direção e precisão de todas as tacadas. Os elementos principais são:
    • A face do taco. É a superfície da cabeça onde se dá o impacto com a bola. Por norma, tem ranhuras para melhorar o atrito.
    • A sola do taco. É a parte inferior da cabeça do taco que entra em contacto com o solo durante a realização de uma tacada. A aresta que é formada pela junção da sola com a face, também é conhecida por lâmina.
    • A coroa. É a parte superior da cabeça, mas este é um conceito que só se aplica aos tacos de madeira e híbridos.
    • O hosel. É a parte da cabeça onde se fixa o eixo do taco de golfe.
    • O calcanhar. É o local onde o hosel e a sola do taco se unem.
    • A ponta do taco. É a ponta da sola oposta ao calcanhar.
    • A linha guia. Normalmente é branca e é a última ranhura inferior na face do taco. Ela orienta o jogador durante a realização de uma tacada, pois indica qual é a distância da sola do taco em relação ao chão.
    • O Sweet Spot ou área de perdão. Está situado no meio das ranhuras da cabeça de um taco de golfe e alinhado com a sua força de gravidade. É o ponto onde acontece uma maior transferência de energia do taco para a bola.
  2. O eixo. O eixo liga o apoio/empunhadura à cabeça de um taco e pode ser constituído por dois materiais diferentes: o aço e a grafite. São materiais específicos com uma flexibilidade própria e no momento da escolha de um taco deve ser levado em conta.
  3. O apoio ou empunhadura. Trata-se da capa que está situada numa das extremidades de um taco de golfe e é onde os golfistas colocam as suas mãos.

A construção de um taco de golfe

A forma como um taco de golfe está construído permite colocar em prática vários tipos de técnicas que diferenciam um bom golfista dos demais. Dessa forma, na construção dos tacos de golfe é necessário que conheça e domine os aspetos seguintes:

O diâmetro do apoio ou empunhadura

De acordo com as regras do golfe, o apoio ou empunhadura deve ser cilíndrica e é aconselhável que tenha o diâmetro crescente do meio para a ponta. Esse formato possibilita que o taco de golfe escape das mãos do jogador durante o balanço (swing).

O comprimento de um taco

O comprimento de um taco de golfe é a medida que vai do apoio ou empunhadura até ao solo, no ponto que fica imediatamente abaixo do calcanhar.

O ângulo de posição

É o menor ângulo formado pelo eixo do taco com a linha guia da face do taco. Se a linha guia estiver paralela ao chão, é sinal que a posição do taco é perfeita, obtendo todas as condições para realizar uma ótima tacada.

O ângulo de “loft”

É uma medida, em graus, do ângulo em que a face do taco de golfe se encontra em relação à verticalidade do eixo. O ângulo de “loft” determina a trajetória e a distância que uma bola de golfe pode ter. Um “loft” grande produz um voo alto e uma menor distância e um loft pequeno produz um voo mais baixo e uma maior distância.

O conceito de “Off set” e “On set”

São dois conceitos muito importantes na arquitetura de um taco de golfe e podem melhorar o jogo de muitos golfistas. Um taco possui “Off set” quando a lâmina está atrás da linha mais avançada do hosel. Por outro lado, se a lâmina está avançada em relação ao hosel, é sinal que o taco possui “On set”.

O ângulo de salto ou “bounce”

Este ângulo é formado pela sola do taco com a linha de guia. Quando é paralela ao chão, o ângulo de salto ou “bounce” é zero. Todavia, um ângulo positivo e negativo evita a introdução do taco em demasia na areia e/ou no solo.

A largura da sola

A largura da sola é um aspeto fundamental na arquitetura de um taco de golfe, pois reflete a distância entre a lâmina e a traseira da sola. Para todos os golfistas que se estão a iniciar na modalidade, os tacos de solas largas são os mais indicados para conseguirem acertar na bola.

O camber do taco de golfe

O camber representa a curvatura existente na sola de um taco de golfe. Pode ser um camber de face traseira onde a curvatura da sola situa-se entre a lâmina e a traseira da sola; e um camber de calcanhar – ponta onde a curvatura da sola está entre o calcanhar e a ponta do taco.

A sua votação: 
Average: 4 (1 vote)